O espaço do PSOL versus a política de “seca pimenteira”

You may also like...

2 Responses

  1. Ismar Loureiro da Silva disse:

    Esse é um partido de esquerda, um autentico partido socialista.

  2. André Luiz Villares Monteiro disse:

    Tudo muito bom, tudo muito bem…
    Ocorre que nesse processo é necessário fazer a crítica e a auto-crítica… Não nego que haja “seca-pimenteira” dentro do PSOL, mas há também “amplitudes” demais que não são analisadas de forma auto-crítica no artigo.
    Muitas vezes, o Partido peca por se abrir demais a elementos que são totalmente contrários à linha programática do PSOL e muito tempo se perde nesse sentido. Candidatura de pastor homofóbico no RJ, caso Daciolo, a entrada de Brizolinha Neto (que até pouco tempo atrás, era cão de guarda dos governos do PMDB no RJ) são exemplos que se o sectarismo não ajuda a construção do PSOL, a amplitude demais também é um inimigo tão perigoso quanto, haja visto que pode levar a descaracterização do PSOL como alternativa de esquerda, principalmente em um momento em que a marca PSOL precisa ser se apresentar como diferente do caminho escolhido pelo PT.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *